sábado, 29 de março de 2014

Partida Amistosa entre AESC-Mamaô x El Shaddai, categoria Sub 17.

Não percam no Estádio do Carecão na Associação dos Moradores do Conjunto CEHAB de Santa Margarida às 13:45 neste Sábado, partida amistosa entre AESC MAMAÔ X EL SHADDAI categoria Sub 17.

CLUBE AESC MAMAÔ TREINOS das CATEGORIAS SUB-15 e SUB 17 / 2014.

TRAZER ATESTADO MÉDICO COM O CRM e o CPF do MÉDICO, RG E CPF. 
SEGUNDAS-FEIRASà 18:30 ÀS 20:30 HORAS à CAMPO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONJUNTO CEHAB

QUARTAS E SEXTAS-FEIRAS à 14:00 ÀS 16:00 HORAS à CAMPO UNIDOS DO IV CENTENARIO FUTEBOL CLUBE

SABADOS JOGOS AMISTOSOS

NUCLEO AESC MAMAÔ/BARBANTE/INHOAIBA.

RESPONSÁVEL: PROFESSOR FLAVIO. TEL : 99555-0955 / 97455-2441

UNIDOS DO IV CENTENARIO FUTEBOL CLUBE à RUA ALVORADA DO SUL, ESQUINA COM A RUA BURANHEM S/N – INHOAIBA.

CLUBE AESC MAMAÔ TREINOS CATEGORIA SUB 15 / 17 e 20 / 2014.

TRAZER ATESTADO MÉDICO COM O CRM e o CPF do MÉDICO, RG E CPF. 

SEGUNDAS-FEIRAS, QUARTAS e SEXTAS-FEIRAS às 18:30 ÀS 21:00 HORAS à CAMPO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONJUNTO CEHAB de SANTA MARGARIDA.

SÁBADOS JOGOS AMISTOSOS.

CAMPO: RESPONSÁVEL à PROFESSOR: RENATO: TEL : 99172-0182

LOCAL: SEDE DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO CONJUNTO CEHAB DE SANTA MARGARIDA>
ENDEREÇO : ESTRADA DO ENCANAMENTO Nº 861,esquina com à RUA: IPIGUÁ ( Antiga 15 ), ao lado da CLÍNICA DA FAMÍLIA ROGÉRIO ROCCO.

PROJETO ESPORTE RJ - AESC MAMAÔ/SANTA MARGARIDA II.

ESPORTE RJ ( FUTEBOL ) na ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES.

INSCRIÇÕES ABERTAS:

NA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO CONJUNTO
CEHAB DE SANTA MARGARIDA, 

PROJETO ESPORTE RJ, ( GRATUITO )

Documentos:

Declaração Escolar
Atestado Médico
Certidão de Nascimento
Comprovante de Residência

Às 2ª, 4ª e 6ª feiras das 09:00 às 11:00 e das 16:00 às 21:00 horas.

PROJETO RJ - TAEKWONDO - PARCERIA ASSOCIAÇÃO E CENTRO SOCIAL Santa Margarida.

ÀS 3ª e 5ª feiras das 09:00 às 11:00 e das 15:30 às 18:00 horas, no Centro Social Santa Margarida.

PROJETO RJ - GINÁSTICA - PARCERIA ASSOCIAÇÃO E CENTRO SOCIAL.

AULAS de 2 às 5ª feiras pela manhã com a professora Beth.

Cobiçada por flamenguistas, camisa 2 da Alemanha vira artigo raro em lojas

Cobiçada por flamenguistas, camisa 2 da Alemanha vira artigo raro em lojas

Uniforme rubro-negro sumiu das vendas no Rio de Janeiro

EDSEL BRITTO E DIEGO LOPES
Rio - A 75 dias da Copa do Mundo, o segundo uniforme da seleção da Alemanha não é mais encontrado nas lojas do Rio de Janeiro. Inspirado na tradicional camisa rubro-negra do Flamengo, o modelo virou uma verdadeira febre entre os torcedores do Mais Querido, que estão vivendo uma odisseia para encontrá-lo. Cobiçada pelos flamenguistas, a camisa tem o preço salgado de R$ 199 e, mesmo assim, está em falta nas prateleiras. Quando é entregue, o uniforme não chega nem sequer a ir para o estoque, e é vendido em poucos minutos.
“Há duas semanas que não recebemos novas remessas. Até hoje, só entregaram quatro caixas com cerca de quinze camisas em cada. Quando isso aconteceu, nós não conseguimos nem repassar para o estoquista. Elas foram abertas no salão e vendidas rapidamente. Não sobrou nenhuma para colocar na vitrine”, disse Jaqueline Prazeres, funcionária da loja Centauro do Shopping Tijuca.
Alemanha já utilizou camisa rubro-negra em amistoso
Foto:  Efe
Apaixonados pelo Flamengo, o corretor de seguros Breno Patjak, 20 anos, e o economista Matheus Guimarães, 27, são exemplos de torcedores que estão com dificuldades de encontrar o desejado uniforme.
“Fui em duas lojas oficiais, uma na Barra e outra na Tijuca, e não consegui achar a camisa em nenhuma delas. Ainda estou procurando. Vale muito a pena essa busca. Achei a camisa linda, e ela é rubro negra, né?”, disse Breno.
“Estou procurando quase todo dia, sempre que passo na loja, pergunto. Já fui pelo menos umas quinze vezes lá. Pedi até para uns conhecidos perguntarem. Uma hora vai”, afirmou Matheus.
O gerente da categoria de futebol para clubes da Adidas do Brasil, Luiz Gaspar, confirmou que as vendas do segundo uniforme alemão surpreenderam a própria fornecedora. “O sucesso da camisa tem superado as nossas expectativas. Ao mesmo tempo, foi possível verificar mais uma vez a paixão do torcedor do Flamengo”, garantiu o executivo, que informou que as vendas da camisa na Alemanha também tem sido um sucesso.
Vale até comprar na China
A dificuldade para encontrar o uniforme rubro-negro da Alemanha fez com que alguns torcedores dessem um jeitinho para garantir a almejada camisa.
O estudante José Amaral, 22 anos, recorreu a uma loja da China, que vende réplicas de camisas originais das principais seleções:
“Está muito complicado de achá-la no Brasil. Além da dificuldade, o preço lá fora é muito mais em conta”.
Já Jorge Vinícius, estudante de 26 anos, persistiu ao máximo até achar a sonhada camisa:
“Passei em pelo menos dez lojas até achar a original”.
No camelódromo da Uruguaiana, as réplicas são facilmente encontradas. Os preços são mais baixos do que os do uniforme original: variam entre R$ 30 e R$ 50.
    Tags: Flamengo , Alemanha

    Vidigal: «Todos os jogadores rendem mais do que estão a render»

    Por Luís Pedro Ferreira       há 14 horas
    Vidigal: «Todos os jogadores rendem mais do que estão a render»
    O treinador do Belenenses, Lito Vidigal, em declarações após o jogo com o Paços de Ferreira, da jornada 25 da Liga 2013/14:

    «Nós temos sempre várias formas para olhar para o resultado. Estamos em posição desconfortável há algum tempo, era importantíssimo ganhar, mas mais importante pontuar. Eu acredito, é para isso que estou cá. Vou lutar até ao último segundo. Todos os belenenses têm de acreditar. Vamos trabalhar com seriedade e atitude para que no final atinjamos os nossos objetivos. »

    «O jogo foi repartido. O Paços tem excelente equipa, um plantel construído para a Champions. Nós com organização, atitude e querer, mesmo em desvantagem, quisemos um resultado diferente. Por aquilo que foi feito, o resultado é justo. O Paços teve mais oportunidades, mas os aspetos mais positivos é que tivemos um jogo no Dragão, outro com o Paços e somámos um ponto. O momento não é de segurança, mas fizemos um jogo fantástico. Se fizermos comparação com início de época, se calhar nos primeiros jogos não pontuámos e agora, mesmo com um jogo no Dragão fizemos um ponto em dois jogos.»

    «Tenho a certeza que todos os jogadores rendem mais do que estão a render. Pena não termos tempo para observarmos mais. Trabalhámos dois dias e competimos. Trabalhámos mais quatro dias e competimos. É na competição que tiramos ilações. Tivemos um jogador que teve um problema no último jogo, que é o China. Acreditámos que podia participar, mas não teve alta médica. Ainda assim esteve no estágio e quis estar com a equipa. Essa pode ser a atitude que faça diferença para nós.»
    TAGS:   Lito Vidigal   Belenenses   Paços Ferreira   Liga  

    SREC x Fast Clube: Treino encerra preparação do Tricolor .

    Manaus, 29 de Março de 2014

    O Fast Clune está definido  para enfrentar o SREC,. Ojogo será realizado neste sábado (29),15h, no Estádio Roberto Simonsen (no SESI). O Tricolor parte em busca da sua primeira vitória na Taça Cidade de Manaus 2014..

    técnico Aderbal Lana orientou um trabalho recreativo no gramado do CT Ulbra. Foi a última atividade antes de iniciar o a concentração  para a partida.

    A equipe que  deverá iniciar o jogo contra  o SREC, não deverá ter novidades em relação ao último jogo. O meia Rosembrick poderá aparecer no nosso mas segue indefinida a sua escalação.





    assessoria.

    Paredão do Vasco busca recompensa

    Paredão do Vasco busca recompensa

    Martín Silva supera problema pessoal e usa recuperação da filha como combustível para conquistar título e o coração dos torcedores de vez

    RICARDO NAPOLITANO
    Rio - A frieza de Martín Silva nos jogos e até mesmo nos treinamentos é uma das características do goleiro que mais chamaram atenção desde que ele chegou à Colina. E é justamente este temperamento que tem ajudado o camisa 1 a se adaptar ao futebol brasileiro, a conquistar a torcida do Vasco e, principalmente, a vencer um dos maiores problemas pessoais de sua vida. Calma, segurança e foco no trabalho ajudaram o uruguaio, que agora não vê a hora de coroar tanta dedicação com a vaga para a final e o título Carioca.<
    Quando foi acompanhar o nascimento da filha Pilar em Montevidéu que, com problemas pulmonares foi diretamente para o CTI do hospital no início do mês, Martín Silva viveu o dilema de não abandonar a sua família nem decepcionar a comissão técnica do Vasco. Mas, com a frieza que a posição exige, o goleiro conseguiu desempenhar o papel de pai e, mesmo sem treinar, o de camisa 1 com grande atuação contra o Fluminense, ainda pela primeira fase.
    Martín Silva está com moral no Vasco
    Foto:  Divulgação
    A família continua no Uruguai, mas os momentos de tensão passaram. E, além da frieza de sempre para dificultar a vida dos atacantes rivais, Martín agora usa seu drama como combustível para alcançar o maior objetivo dentro de campo.
    “Tenho pensado nesse título estadual. Seria muito bonito depois de tudo que vivi na minha vida pessoal. O grupo também merece. Ganhar um campeonato que o clube não conquista há 11 anos coroaria o primeiro semestre, pois muitos chegaram este ano ao Vasco. Eu quero esse troféu, pois também é uma forma de homenagear a minha família”, afirmou.
    E o goleiro, que recusa o status de ídolo, aproveitou a oportunidade para agradecer o carinho que recebeu no clube.
    “Cheguei há pouco tempo e ainda estou nesse processo de adaptação. Estou feliz com as atuações que estou apresentando, mas devo tudo isso ao grupo do Vasco. Eles me ajudaram muito a superar esse momento ruim e sou agradecido a todos. Por sorte, o que aconteceu com a minha filha é apenas uma má recordação. Estou feliz por ela e pelo momento do time”, ressaltou Martín Silvam confiante na vitória amanhã.
    “É o único resultado que serve para a gente avançar e vamos buscá-lo”, completou.
    Loucura e desespero estão fora da cartilha do clube
    Para chegar à final do Carioca o Vasco precisará vencer de qualquer jeito. Não para o técnico Adilson Batista. Mesmo ciente de que o empate garantirá o Fluminense na decisão, o comandante espera ver seu time tranquilo em campo, sem dar espaços ao rival ou perder a organização.
    “Sou contra loucura, desespero e desorganização. A gente tem peças para criar alternativas em campo e é nisso que temos de focar. Mas adianto que não penso em colocar o Luan (zagueiro) como centroavante. Nada deste tipo passa pela minha cabeça. Não existe”, afirmou.
    Perguntado se espera um Fluminense mais recuado, Adilson ironizou. “Ainda mais? Eles já usaram o contra-ataque no primeiro jogo”, declarou.
    Lesão de André Rocha não preocupa comissão técnica
    Substituído no segundo tempo do clássico com o Fluminense com dores no joelho direito, o lateral André Rocha foi reavaliado ontem pelo departamento médico do Vasco. E a notícia foi boa.
    Com uma leve entorse, o atleta se apresentou ontem sem sentir dores e, a princípio, estará à disposição da comissão técnica para o segundo duelo da semifinal, no domingo.
    André Rocha trabalhou com os outros titulares na sala de musculação de São Januário e será avaliado novamente na atividade de sábado. Já os reservas fizeram um animado treinamento técnico de dois toques em campo reduzido.
    Técnico freia oba-oba e pede calma com o seu ‘Thallesmã’
    Opção no banco de reservas, Thalles mais uma vez foi fundamental quando entrou. Mas, após o gol que garantiu o empate em 1 a 1 do time na primeira semifinal com o Fluminense, o técnico Adilson Batista tratou de evitar o oba-oba em relação ao jovem atacante. Para ele, com apenas 18 anos, o jogador precisa evoluir mais antes de ter o lugar garantido no time.
    “Estou no dia a dia e vejo que o Thalles precisa melhorar. Não falo apenas por causa da pouca idade. Mas tenho certeza de que vai crescer profissionalmente. Ele é um bom jogador, mas precisa ser trabalhado. Estou mostrando o caminho e o atleta tem se dedicado”, elogiou o comandante.
    Enquanto isso, a diretoria do Vasco está prestes a confirmar a renovação do contrato do centroavante por mais três anos, o que deve acontecer na segunda-feira. Tempo suficiente para o clube lapidar sua joia.
    “Thalles tem aceitado bem o que temos passado e isso vai ajudá-lo a crescer. Não vamos achar que com 18 anos ele é o Edson Arantes do Nascimento (Pelé), porque não é. Por isso, ele não pode ter essa responsabilidade toda”, advertiu o técnico Adilson Batista.
      Tags: Vasco

      Renato esconde o jogo para a 'decisão'

      Renato esconde o jogo para a 'decisão'

      Técnico do Flu, porém, esquece vantagem do empate e promete ir para cima do Vasco

      MARCELO BERTOLDO
      Rio - Em um jogo que vale vaga para a final do Carioca, o mínimo detalhe pode fazer a diferença para Renato Gaúcho, que quer ver sua equipe empenhada em buscar o gol durante os 90 minutos, apesar de ter a seu favor um empate.
      No entanto, ele adota o mistério como estratégia para confundir o vascaíno Adilson Batista. Sem Jean, expulso na partida de quinta-feira, Rafinha e Wagner são os favoritos para ganhar uma chance entre os titulares.
      “Na minha cabeça não tem dúvida alguma, mas para vocês (jornalistas) a escalação só será revelada minutos antes do clássico. O mais importante é que minha equipe foi muito bem, teve disposição, atitude, garra e atenção. É uma partida de 180 minutos, estamos vivos. Temos de jogar com inteligência e saber usar o regulamento na hora certa”, afirmou o treinador.
      Renato Gaúcho garante Flu brigando pela vitória
      Foto:  Divulgação
      Bruno melhora
      Se não poderá contar com Jean, Renato Gaúcho terá Bruno </MC>à disposição. O lateral-direito levou um pisão de Rodrigo na mão esquerda durante o clássico,mas se reapresentou melhor na tarde de ontem, nas Laranjeiras, e diminuiu a preocupação da comissão técnica.
      “Bruno melhorou muito. Ele é um jogador muito importante, vive um bom momento e não acredito que haverá maiores problemas para entrar em campo na semifinal”, disse Renato.
      Apesar da cautela, o comandante tricolor reforça sua esperança no esquema do time, que ele próprio considera o mais ofensivo do Brasil, com Walter e Fred. A dupla esteve em ação pela segunda vez consecutiva e agradou. Com qualidade acima da média, a dupla tem o aval total do treinador.
      “Eles são atacantes decisivos e, por isso, sempre serão fortemente marcados. Num clássico são poucas oportunidades que aparecem. Na que apareceu, Fred fez o gol. Todo cuidado é pouco quando os jogadores que podem desequilibrar como Waltinho e Fred”, destacou Renato.
      Tenório ‘esquece’ reforços
      O vice de futebol do Fluminense, Ricardo Tenório, admitiu que o clube está no mercado em busca de reforços, mas revelou que a disputa pela vaga na final do Carioca deixará qualquer negociação em segundo plano.
      “Estamos na semifinal do Carioca e nossas atenções estão voltadas para isso. Temos conversado, mas vamos esperar esse momento de decisão passar”, disse Tenório.
      Nos últimos dias, os nomes do zagueiro Izquierdoz, do Lanús, e do lateral-esquerdo Kanneman, do San Lorenzo, ganharam força. Mas a janela de transferência internacional fecha segunda-feira. Edson, volante do São Bernardo, está perto do acerto.
      Arbitragem
      A arbitragem de Wágner Nascimento Magalhães não agradou aos dois lados do clássico. Vice de futebol do Vasco, Ercolino de Luca sugeriu a contratação de árbitros de fora do Rio. Ricardo Tenório, vice de futebol do Flu, rebateu a sugestão do rival.
      “É um brincalhão. Sugerir a arbitragem de fora é mais um desprestígio para esse campeonato. Na minha opinião, ele foi muito infeliz. Fomos prejudicados, tivemos jogador expulso, porque ele não seguiu o mesmo critério com os jogadores do Vasco. Tivemos um jogador pisado. Um absurdo”, disse Tenório.
      ‘Buscaremos a vitória’
      Ciente do peso da vantagem do Fluminense, Renato Gaúcho usará a carta na manga na hora certa e não permitirá que sua equipe abra mão de jogar no segundo clássico com o Vasco.
      O DIA: Como será a postura do Fluminense neste domingo?
      Renato: A mesma. Vou pedir a mesma coisa, não podemos entrar com o regulamento debaixo do braço. Temos de buscar a vitória. Tivemos algumas chances, da mesma forma que o Vasco. Cada um fez um gol. Precisamos usar o regulamento na hora certa. Lógico que os cuidados defensivos nós temos que tomar sempre.
      O DIA: A arbitragem no primeiro clássico incomodou?
      Renato: Na minha opinião, a entrada do jogador do Vasco (Marlon) no Bruno era para cartão vermelho. A maior prova disso é que o juiz não deu falta, o auxiliar avisou e no momento que ele viu a perna dele se assustou.
      O DIA: O que esperar do terceiro clássico com o Vasco no ano?
      Renato: Esse mais do que nunca vale a vaga na final. São só decisões. A última batalha entre Vasco e Fluminense no ano pode ser no domingo. Espero que o Fluminense esteja na final do Carioca.
        Tags: Fluminense

        Nada de chinelinho no Mengão

        Nada de chinelinho no Mengão

        Mesmo podendo perder por dois gols para ir à final do Carioca, Jayme de Almeida não admite salto alto

        VITOR MACHADO
        Rio - Somente um vexame do tamanho da história do Flamengo será capaz de tirar o Rubro-Negro da decisão do Carioca. Neste sábado, às 18h30, contra a Cabofriense, no Maracanã, o time pode até perder por dois gols de diferença que estará classificado. Mas o técnico Jayme de Almeida não admite salto alto. Ele quer ver a equipe jogar à vera para chegar a Guaiaquil embalada e arrancar pelo menos um ponto do Emelec. Léo Moura e André Santos estão fora da partida pela Libertadores. Nesta noite, o volante Recife deve ser testado na lateral direita.
        Na esquerda, João Paulo está confirmado no lugar de André Santos. Mas a improvisação do outro lado pode não ser necessária no Equador. Jayme ainda nutre esperança de contar com Léo na quarta-feira. Elano treinará, hoje, e também tem chance de viajar com o grupo. O goleiro Felipe ressalta que não há tempo para chorar os desfalques.
        Jayme vem tentando montar o Fla, mesmo com os desfalques
        Foto:  André Mourão / Agência O Dia
        “É ruim isso. Mas não é a primeira vez e também não será a última que acontece. Não adianta a gente lamentar. Quem o Jayme colocar tem que entrar e suprir a ausência desses jogadores, que são referência no grupo. É uma pena, mas futebol é assim”, afirmou o camisa 1.
        Jayme descarta improvisar Paulinho na lateral. Além de Recife, o treinador tem a opção de escalar Chicão no setor, atuando como falso terceiro zagueiro. Digão e Luiz Antonio seriam alternativas, mas, como não estão inscritos na Libertadores, foram preteridos.
        A missão do Flamengo na competição sul-americana ganhou ares de drama, já que o time não pode mais perder. O Rubro-Negro, porém, tem pela frente um time equatoriano e outro mexicano, em casa. Hoje, o futebol brasileiro não tem mais a autoridade de outros tempos, mas, para Felipe, o único carioca campeão do mundo pode se impor.
        "Virou uma cultura. Cria-se um problema maior do que é na Libertadores. Como a altitude. É ruim, mas às vezes o bicho não é tão feio quanto parece”, disse o goleiro, que pede menos cautela nos confrontos contra estrangeiros:
        “Os brasileiros respeitam muito, principalmente as equipes argentinas, mas acho que podemos jogar de igual para igual, como contra qualquer clube brasileiro. Precisamos exorcizar esse fantasma. Eles vêm e jogam como se estivessem em casa.”
        Fé no Brocador
        Hernane ainda não engrenou em 2014. Dos 12 jogos que disputou, passou nove em branco e fez apenas seis gols. Há quatro partidas que o camisa 9 não justifica o apelido de Brocador. Alecsandro, por outro lado, marcou 10 vezes em 14 oportunidades que recebeu do treinador. Ele não balançou as redes em oito compromissos.
        Mesmo assim, Hernane tem crédito. Tanto Jayme de Almeida como os jogadores dizem confiar no artilheiro do Brasil em 2013, com 36 gols.
        “No ano passado, o Hernane começou assim também, foi para o banco, o Moreno entrou, mas ele (Hernane) acabou o ano como artilheiro do Brasil. Os que o criticavam no final tiveram que aplaudi-lo. Ele não precisa mais provar nada a ninguém. Daqui a pouco ele faz quatro, cinco gols, e isso acaba”, acredita o goleiro Felipe.
        'Em aberto'
        Como bom zagueiro que foi, Jayme de Almeida dá de bico no clima de “já ganhou”. Para o treinador, se o Flamengo sentar em cima da vantagem que construiu na quarta-feira pode abrir brecha para uma reviravolta:
        “Temos que entrar atentos. O sucesso tem que vir com seriedade e respeito. Não estamos classificados, temos mais 90 minutos para jogar. A Cabofriense não chegou à semifinal por acaso. Temos que ter humidade. O nosso time não é a oitava maravilha do mundo, mas conquistamos as coisas sempre com trabalho.”
          Tags: Flamengo

          Por conta de salários atrasados, elenco do Fogão cancela treino e faz protesto

          Por conta de salários atrasados, elenco do Fogão cancela treino e faz protesto

          Momento turbulento acontece às vésperas de 'decisão' pela Libertadores

          O DIA
          Rio - Com a classificação bem encaminhada para as oitavas de finais da Libertadores, o momento no Botafogo não é só de festa. Os jogadores vão fazer um protesto, neste sábado, por conta dos salários atrasados. O elenco vai subir ao campo para treinar, mas ficará cerca de 30 minutos sem realizar nenhuma atividade. No domingo há o risco de greve no treinamento marcado para às 9 horas no Engenhão.
          Nos dias de semana, o protesto deve continuar. Com isso, o Alvinegro pode entrar em campo, antes da partida contra o Unión Española, no Maracanã, com sua preparação comprometida. Em caso de vitória, o Glorioso garante vaga na próxima fase da competição sul-americana.
          Diretoria e jogadores divergem sobre o atraso salarial. O elenco alega que o clube está devendo dois meses de atrasos na carteira e dois meses de direitos de imagem. A versão oficial do Glorioso é de apenas um mês. Além disso, os jogadores cobram a premiação pela vitória sobre o Deportivo Quito, que classificou o time para a fase de grupos da Libertadores.
          Os jogadores resolveram tomar uma atitude mais enérgica a diretoria havia prometido quitar os salários antes do jogo desta quarta-feira. No entanto, depois veio o comunicado que não há mais previsão para o pagamento.
          O Botafogo vive situação de extrema asfixia financeira, com suas receitas bloqueadas pela Fazenda Nacional. Os recursos usados para o pagamento de salários de jogadores e funcionários são conseguidos por meio de operações bancárias, empréstimos e ajudas de botafoguenses ilustres.
            Tags: Botafogo