domingo, 18 de junho de 2017

DUQUE CAXIENSE F.C X ANGRA DOS REIS E.C

Campeonato Carioca B2 Profissionais
Segunda Feira :Dia 19 de Junho 2017.
Horário 15:00 Horas
Estádio Joaquim de Almeida Flores.
Esporte Clube Nova Cidade
Rua Arnaldo Tavares, 262 - Bairro: Nova Cidade - Nilópolis - RJ - CEP: 26535-070

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Dia da Manicure

Dia da Manicure é comemorado no Brasil em 14 de junho.
Esta data visa homenagear as / os profissionais que se dedicam a cuidar e embelezar as mãos de homens e mulheres, principalmente as unhas.
Para executar o seu trabalho, as manicures precisam ter um bom senso de estética e higiene, duas características fundamentais para garantir o seu sucesso profissional.
A profissão de manicure passou a ser oficialmente reconhecida no Brasil a partir da Lei nº 12.592, de 18 de janeiro de 2012.
O termo manicure entrou na língua portuguesa através dos franceses, sendo esta uma palavra natural do idioma francês. No Brasil ou em Portugal, por exemplo, também é comum o uso de manicura (para se referir às profissionais femininas) e manicuro (para os masculinos).
Originalmente, no entanto, a palavra manicure surgiu a partir do latim manus, que significa "mãos", e cura que quer dizer "tratamento". Assim, manicure pode ser literalmente traduzido como "tratamento das mãos".
As manicures são adoradas por suas clientes, pois a relação entre ambas é bastante fraternal e divertida, por norma. Em muitos casos, as clientes e manicures acabam desenvolvendo uma relação de amizade.

Homenagem ao Dia da Manicure

"Com sensibilidade e dedicação, você é a responsável por dar mais vida às minhas mãos. Obrigado...!!!"
"Hoje é dia de homenagear a todas as manicures que sempre conseguem aumentar a nossa autoestima, deixando nossas unhas lindas e maravilhosas. Obrigada..!!!
Nossos Parabéns...!!!

Dia Mundial do Doador de Sangue.

O Dia Mundial do Doador de Sangue é comemorado anualmente em 14 de junho.
O objetivo desta data é homenagear a todos os doadores de sangue e conscientizar os não-doadores sobre a importância deste ato, que é responsável pelo salvamento de milhares de vida.
A data foi criada por iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2014, e a data foi escolhida em homenagem ao dia de nascimento de Karl Landsteiner (14 de junho de 1868), um imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e várias diferenças entre os diversos tipos sanguíneos.
Quem pode doar sangue...?
Para doar sangue, a pessoa deve estar enquadrada dentro de algumas características específicas, de acordo com a
Organização Mundial da Saúde (OMS):
Homem ou mulher;
Entre 16 e 68 anos;
Ter acima de 50 quilos;
Não ter Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas, Sífilis, AIDS (HIV), HTLV;
Estar bem alimentado e descansado;
Esperar entre 90 e 180 dias após o parto para mulheres grávidas;
Se estiver gripado, esperar no mínimo 7 dias após a recuperação para poder doar;
Após uma doação, as mulheres devem esperar 90 dias para voltar a doar sangue.
Os homens devem esperar 60 dias até uma nova doação

quarta-feira, 7 de junho de 2017

DURA REALIDADE...

Mais de 80% dos jogadores no Brasil ganham menos de R$ 1 mil de salário

Por iG São Paulo  - Atualizada às 
COMPARTILHE
Tamanho do texto

Levantamento divulgado pela CBF mostrou que mais de 28 mil jogadores têm contratos profissionais no País, mas os vencimentos em carteira são pequenos na maioria dos casos

Sede da CBF, entidade do futebol brasileiro
CBF/Divulgação
Sede da CBF, entidade do futebol brasileiro

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) faz um levantamento inédito através da sua DRT (Diretoria de Registro e Transferências) e divulgou nesta terça-feira alguns "números que ajudam a entender as atividades do a realidade do futebol brasileiro", segundo a própria entidade.
Os dados deste documento foram divididos em três partes: registro, transferências e salários. Neste último quesito, os valores registrados nos contratos de trabalho dos atletas que atuam no futebol brasileiro mostram a disparidade do esporte por aqui.
São poucos os que assinam contrato com alto valor em carteira
Reprodução
São poucos os que assinam contrato com alto valor em carteira
Segundo o relatório, mais de 80% dos jogadores recebem até R$ 1 mil de salário, enquanto outros 13% recebem seus vencimentos dentro da faixa salarial de R$ 1 mil a R$ 5 mil. Sem citar nomes, o levantamento mostra que apenas um atleta em todo território nacional foi registrado com o salário acima de R$ 500 mil.
Em 2016, o valor do salário mínimo no País foi reajustado para R$ 880,00.
Vale sempre lembrar que esses valores são os que constam no contrato de trabalho. É bastante comum no Brasil os clubes dividirem o salário do jogador em um montante na carteira assinada e outro por fora de direitos de imagem - e nesse último é onde entra a maior parte do valor em muitos casos, principalmente de atletas mais badalados e caros.
Confira os números:
Salários de até R$ 1 mil - 23.238 jogadores - equivalente a 82,40% do total
Salários entre R$ 1 mil e R$ 5 mil - 3.859 jogadores - equivalente a 13,68% do total
Salários entre R$ 5 mil e R$ 10 mil - 381 jogadores - equivalente a 1,35% do total
Salários entre R$ 10 mil e R$ 50 mil - 499 jogadores - equivalente a 1,77% do total
Salários entre R$ 50 mil e R$ 100 mil - 112 jogadores - equivalente a 0,40% do total
Salários entre R$ 100 mil e R$ 200 mil - 78 jogadores - equivalente a 0,28% do total
Salários entre R$ 200 mil e R$ 500 mil - 35 jogadores - equivalente a 0,12% do total
Salário acima de R$ 500 mil - 1 jogador - equivalente a 0% do total
Confira outros dados:
REGISTRO / BALANÇO DE 2015
Contrato / Definitivo - 28.203
Vínculos Não Profissionais - 22.782
Contrato / Empréstimo - 1.674
Rescisão de Contrato - 7.973
Rescisão Judicial - 131
Transferências Nacionais - 14.331
Clubes Profissionais - 776
Clubes Amadores - 435
Clubes Formadores - 27
Atletas Estrangeiros - 83
Intermediários - 115
REGISTRO ATIVO / JANEIRO DE 2016
Contratos Ativos - 11.571
Vínculos Não Profissionais - 18.341
Clubes Formadores - 42
Atletas Estrangeiros - 56
TRANSFERÊNCIAS / 2015
BRASIL PARA O EXTERIOR
Atletas Amadores - 232
Atletas Profissionais  (TMS) - 771
Atletas Profissionais Como Amadores (sai do Brasil como profissional para atuar como amador em outro país) - 209
Total - 1.212
Transferências com valores - 99
Valor total - R$ 679.740.600,00 
EXTERIOR PARA O BRASIL
Atletas Amadores - 68
Atletas Profissionais  (TMS) - 580
Total - 648
Transferências com valores - 15
Valor total - R$ 114.387.000,00
    Leia tudo sobre: CBF • Brasileirão • Estaduai

    segunda-feira, 5 de junho de 2017

    CERES F.C X ANGRA DOS REIS E.C

    Campeonato Carioca B2 Profissionais
    Segunda Feira:Dia 05 de Junho
    Horário 15:00 Horas
    Estádio Antônio Mourão Vieira Filho
    Olaria Atlético Clube - Rua Bariri, 251

    sábado, 3 de junho de 2017

    VISITA AO ANGRA DOS REIS.

    Artilheiro na Espanha, Deyverson faz visita à delegação do Angra dos Reis

    Jogador, hoje no Alavés (ESP), é irmão do goleiro Brum, do Tubarão


    Autor: Redação FutRio / Fotos: AS e Divulgação (AREC)
    O atacante Deyverson voltou a lembrar os tempos de Terceirona Carioca nesta sexta-feira (2), quando voltou à Costa Verde para uma visita especial. Mas não tinha nada a ver com os tempos em que jogou pelo Mangaratibense, sendo destaque do time e indo parar no futebol europeu. O jogador do Alavés (ESP) fez uma visita à delegação do Angra dos Reis, para desejar sorte aos jogadores do Tubarão e para um em especial: o goleiro Anderson Brum, que é seu irmão mais velho.

    Deyverson tem 26 anos e Anderson, 31. Enquanto o atacante começou nos pequenos clubes do Rio, o arqueiro rodou por várias equipes, como São Cristóvão e Serra Macaense até chegar ao Angra. No último fim de semana, os jogadores assistiram à final da Copa do Rei da Espanha, em que o Alavés enfrentou o poderoso Barcelona. Deyverson jogou os 90 minutos, mas não evitou a vitória e o título do Barça, que ganhou por 3 a 1. Nada que abalasse a confiança da família, sobretudo de um orgulhoso irmão coruja.

    – É a realização de um sonho de toda nossa família e daqueles que sempre nos acompanharam. Estamos aqui nos preparando para uma partida importante, mas com o coração batendo forte e torcendo sempre pelo sucesso do meu irmão, que é um cara humilde e batalhador. Espero que um dia a gente possa se enfrentar, já que eu sou goleiro e ele atacante, só para vermos como será a reação dos nossos pais e como eles vão fazer para torcer – disse Anderson, que vestia a camisa 20 do Alavés, autografada pelo irmão.

    image

    O técnico Leandro Silva espera que a visita do craque inspire os jogadores angrenses, que lutam para ter sucesso na Série B2 do Carioca:

    – A visita do Deyverson foi importante para mostrar aos atletas o que o futebol pode proporcionar. Há seis anos, ele estava no Mangaratibense, jogando a terceira divisão e hoje atua em uma das principais ligas do mundo, contra os melhores jogadores do mundo. No futebol, tudo é possível. E queremos que saiam mais histórias como as do Deyverson aqui no Angra.

    Em 2011 e 2012, Deyverson jogou pelo Manga e foi destaque nas campanhas do clube. Depois disso, partiu para Portugal, onde jogou pelo Benfica. Na sequência, defendeu Belenenses (POR), Colônia (ALE) e Levante (ESP), até chegar ao Alavés, tradicional clube de Sevilha, onde jogou 37 vezes na última temporada, com sete gols marcados.

    O Angra volta a campo pela Série B2 do Carioca na segunda-feira (5), contra o Ceres, em Olaria, às 15h.
    Tags: Angra dos Reis

    Anderson Brum

    Feliz hoje pela visita do meu pai Aesc Mamaô e do meu irmão Deyverson Brum e do meu primo Rodolfo Da Dayani aqui no clube Angra dos Reis.

    Se deslocaram para poder me visitar e conhecer meus companheiros de clube...!!! 

    Obrigado que o Eterno abençoe vocês eu amo voces e Jesus vos ama também!...!!

    VENDA DE CAMISAS PERSONALIZADAS DEYVERSON – D 20.

    ESTAMOS VENDENDO CAMISAS PERSONALIZADAS


    DEYVERSON – D 20.


    Preço: R$ 30,00 ( Trinta Reais ).

    Deportivo Alavés

    💙 obrigado Deyverson por este grande ano que você nos deu! ➡️http://bit.ly/2rA8fJA muita sorte crack! #Goazenglorioso

    Deportivo Alavés

    🎥 | aqui está! Vive do lado de dentro a #finalgloriosa! Conteúdos únicos ➡️ http://ow.ly/qYJv30c89t6 #goazenglorioso

    Conheça Deyverson Brum.

    Conheça Deyverson, o brasileiro que quer atrapalhar (de novo) a vida do Barça

    Sem fama no Brasil, atacante é uma das armas do pequeno Alavés na final da Copa do Rei. Enorme admiração por Neymar, que estará do outro lado, já lhe rendeu até bronca

    Conheça Deyverson, o brasileiro que quer atrapalhar (de novo) a vida do BarçaConheça Deyverson, o brasileiro que quer atrapalhar (de novo) a vida do Barça
    Após fracassar na Liga dos Campeões e no Campeonato Espanhol, o Barcelona tem a chance de encerrar a temporada neste sábado com alguma dignidade. Na despedida do técnico Luis Enrique, o time vai enfrentar o modesto e surpreendente Alavés na final da Copa do Rei - às 16h30 (de Brasília), no Vicente Calderón, em Madri, com acompanhamento em Tempo Real do GloboEsporte.com. Para os catalães a vitória é tratada como obrigação e, se ela de fato vier, a comemoração provavelmente será mais contida do que o normal. Do outro lado, porém, está uma equipe sedenta pela conquista daquele que será o título mais importante da história do clube. E que já aprontou uma surpresa e tanto quando venceu por 2 a 1 dentro do Camp Nou, pelas rodadas iniciais do Espanhol. Três pontinhos que por sinal fizeram falta ao Barça na reta final do torneio, sagrando o Real Madrid como campeão.
    Fã de Neymar, brasileiro que se firmou no futebol espanhol fala do caminho até a Europa
    - As pessoas falam que o Barcelona tem 99% de chances de ser campeão e nós temos 1%. Mas pego as palavras do meu pai: se 1% é difícil, para nós 1% é possível. É possível ganhar do Barcelona, sim. Já demonstramos isso para todo mundo quando ganhamos deles no Camp Nou. Mas para jogar uma final contra o Barcelona... Se jogamos a 100 por hora, agora tem que ser a 1.000 por hora.
    As palavras acima são de Deyverson. Para quem ainda não o conhece, trata-se de um atacante brasileiro que é peça importante do Alavés e que inclusive fez um dos gols da vitória no Camp Nou. Esse jogo acabou sendo um divisor de águas na carreira do jogador, que ganhou mais visibilidade a partir dali. Depois, balançou também a rede de outro gigante, o Real Madrid. Por tudo isso, ele próprio acredita que vive seu melhor momento, aos 25 anos. Ao todo, foram 36 partidas na temporada - 31 como titular - e sete gols marcados.
    De brasileiro no elenco, só Deyverson mesmo. Mas há também um nome familiar: Romero. Neste caso, Óscar Romero, irmão gêmeo do paraguaio Ángel Romero, do Corinthians.
    Deyverson comemora o gol marcado sobre o Barcelona no Camp Nou (Foto: EFE)Deyverson comemora o gol marcado sobre o Barcelona no Camp Nou (Foto: EFE)
    Deyverson comemora o gol marcado sobre o Barcelona no Camp Nou (Foto: EFE)
    A reportagem viajou até a cidade de Vitoria-Gasteiz, localizada na comunidade autônoma do País Basco, no norte da Espanha, para conhecer Deyverson de perto. Ele não tem fama no Brasil, pois profissionalmente só atuou por um clube: o Grêmio Mangaratibense, da Série C do Campeonato Carioca. Há cinco anos, foi levado pelo antigo empresário à Europa. Passou em teste no Benfica B, e na sequência jogou no Belenenses, também de Portugal, e no Colônia, da Alemanha, até ter o passe comprado pelo Levante, da Espanha. O time foi rebaixado no ano passado e o emprestou ao Alavés até o final desta temporada. Deyverson diz que não sabe como anda a situação e que o empresário está conversando para resolvê-la, mas deixa clara qual é a sua vontade.
    - Se eu tiver que sair daqui, vou sofrer bastante. Estou bastante acostumado à rotina de descer do apartamento com meu pai para tomar um café, falar com as pessoas, receber o carinho delas. No Brasil você perde um jogo e não é a mesma coisa. Aqui as pessoas sabem onde moro, me tratam com carinho e respeito. Pelo meu coração, eu ficaria aqui por mais um ano, dois, três...
    Deyverson Alavés (Foto: Ivan Raupp)Deyverson Alavés (Foto: Ivan Raupp)
    Deyverson Alavés (Foto: Ivan Raupp)
    Deyverson é muito querido pela torcida do Alavés. As mostras do incentivo que recebe do povo local estão espalhadas por sua casa. São vários presentes: bonecos, cartas, fotos, bichos de pelúcia. E é fácil entender o porquê. O sorriso aberto e a simpatia são suas marcas registradas.
    Passado de "pão sem manteiga e café sem açúcar"
    O atacante hoje tem uma vida confortável, mas lá atrás as coisas eram bem diferentes. Ele deu os primeiros passos no futebol no time de bairro criado pelo pai, Carlos Roberto, o Aesc Mamaô de Campo Grande, no Rio de Janeiro, onde nasceu e foi criado. Após levar muitos nãos em testes, recebeu o convite do Grêmio Mangaratibense. Nessa época, a situação era complicada.
    - Foi onde passei mais dificuldade. Às vezes não tinha o que comer, a gente comia pão sem manteiga, tomava café sem açúcar. Enfrentamos e vimos que éramos capazes de encarar outras dificuldades no futebol. Ali eu pude aprender que na vida nada é fácil. Se a gente não batalhar, não vai vencer. Por isso muito jogador desiste do futebol. Mas não desisti e graças a Deus estou aqui.
    Elenco e comissão técnica do Alavés em clima descontraído antes de um dia de treino (Foto: Ivan Raupp)Elenco e comissão técnica do Alavés em clima descontraído antes de um dia de treino (Foto: Ivan Raupp)
    Elenco e comissão técnica do Alavés em clima descontraído antes de um dia de treino (Foto: Ivan Raupp)
    Deyverson é de família boleira. O irmão mais velho, Anderson Brum, foi goleiro profissional e já atuou pelo Figueirense. O pai sempre teve o sonho de ver os filhos se tornando jogadores de futebol. E foi à loucura quando o "Deyvinho" ameaçou desistir.
    - Minha mãe falava para mim: "O futebol é injusto". Quando a mãe fala, tem que ouvir. Fui falar para o meu pai que queria deixar de jogar futebol. Ele ia ser preso, porque queria me matar (risos). Ficou sem falar comigo um tempão. Aí depois ele falou: "Faça o que você quiser. Se quiser jogar futebol, você que vá atrás, porque não vou te ajudar mais em nada - contou o jogador.
    Deyverson se virou. Trabalhou vendendo caldo de cana, salgadinho, ajudando clientes de supermercado a carregarem sacolas. Assegurava o dinheirinho no fim do mês. Mas o destino queria mais para ele. O futebol abriu as portas, e a oportunidade enfim chegou.
    - Ele quase matou o velho do coração, poxa vida. Dei uma dura nele, falei para seguir a vida. E foi aí que deu certo (risos) - relembra o pai do atacante.
    Deyverson é muito ligado aos pais e os trouxe para morar junto dele na Espanha (Foto: Ivan Raupp)Deyverson é muito ligado aos pais e os trouxe para morar junto dele na Espanha (Foto: Ivan Raupp)
    Deyverson é muito ligado aos pais e os trouxe para morar junto dele na Espanha (Foto: Ivan Raupp)
    A bronca por conta dos olhares a Neymar
    A final da Copa do Rei contra o Barcelona será também uma chance para Deyverson mais uma vez encontrar seu ídolo: Neymar. O atacante do Alavés tem o costume de trocar mensagens e camisas com o craque. A admiração é tanta que ele já levou até bronca por isso.
    - Já tenho umas cinco camisas do Neymar, porque só troco com ele. Não vejo Messi, Suárez, ninguém, só o Neymar. No meu primeiro jogo no Camp Nou fiquei alucinado, sem acreditar, pois foi um sonho realizado. A gente estava aquecendo e entrou o Barcelona, por último veio o Neymar. No aquecimento fiquei olhando para o Neymar, aí o treinador tocava a bola e eu devolvia errado. Ele falava: "Vamos, Deyverson! Atenção!". Fiquei prestando mais atenção no Neymar do que no aquecimento, não estava acreditando que eu estava ali com ele.
    Deyverson e Neymar após um confronto entre eles pelo Campeonato Espanhol (Foto: Reprodução)Deyverson e Neymar após um confronto entre eles pelo Campeonato Espanhol (Foto: Reprodução)
    Deyverson e Neymar após um confronto entre eles pelo Campeonato Espanhol (Foto: Reprodução)
    Deyverson é um belo exemplo de brasileiro que superou as dificuldades da vida e venceu no exterior. Mas faz o caminho inverso da maioria ao alimentar um sonho: jogar por um grande clube do futebol brasileiro, coisa que ainda não teve chance de fazer. Para ele, melhor ainda se esse time for o Vasco, que desde sempre está no seu coração.
    Mas isso está nos planos somente para o futuro, não para o presente. Agora o foco de Deyverson é o Alavés. É a final contra o Barcelona. É a oportunidade de conquistar o maior título da história do clube. E assim poder retribuir o grande carinho que recebe da apaixonada torcida azul e branca.